Nokia deixa a Europa, E agora? | Blog do Zipi





A compra da unidade de celulares da Nokia pela Microsoft, anunciada esta semana, marca a retirada da Europa de uma guerra comercial disputada a nível mundial. A empresa finlandesa era o último gigante europeu a disputar com os Estados Unidos e a Ásia o mercado dos celulares, mas a falta de dinamismo nos smartphones ditou a transferência para o outro lado do Atlântico.




As duas empresas anunciaram, num comunicado conjunto, que o negócio implica que a fabricante de software americana desembolse 5,4 milhões de euros. A transacção deverá estar concluída no primeiro trimestre de 2014.

Para a Microsoft, é uma tentativa de apanhar o trem das telecomunicações mundiais. A história recente mostra que a empresa de Steve Ballmer tem andado a marcar passo neste setor, liderado pela também americana Apple e pela coreana Samsung.

“É uma corrida em que a Microsoft já chega um pouco tarde, porque a Microsoft já fez várias tentativas de alcançar a Apple e a Samsung”.

Mas nem tudo está perdido. Embora a criadora de programas operativos como o Windows 8 tenha tendência para a ser a última a chegar à festa, é também conhecida por rapidamente se tornar o centro das atenções: “A Microsoft tem a tradição de chegar tarde mas de ser bem sucedida, daí a importância de adquirir esta unidade da Nokia”.

A relação entre as duas empresas não começou aqui. Os celulares da Nokia já estavam a utilizar o sistema operativo da Microsoft, o Windows Phone. Para a finlandesa, o negócio revelou ser uma salvação, depois de anos a bater no vermelho.

E agora, Finlândia?

Com o início da era dos smartphones, a Nokia tem vindo a perder terreno. Entre 2009 e 2012, a sua quota de mercado em número de utilizadores com celulares passou de 41% para 2%, a nível mundial.

As vendas desceram 24% só no segundo trimestre deste ano, período durante o qual foi registada uma perda de 227 milhões de euros. No últimos dois anos e três meses, os prejuízos somam mais de cinco mil milhões de euros.

Mas, se para a Microsoft este negócio só mostra ter vantagens, para a Finlândia a situação é outra: “É uma dor de cabeça. A Nokia emprega muita gente e é uma peça fundamental na economia finlandesa”.

A prová-lo está o contributo da Nokia para o PIB finlandês. Um estudo do Instituto de Investigação da Economia Finlandesa indica que a marca chegou representar 4% da economia. Nos anos dourados da empresa, no virar do século, o grupo representava 20% das exportações e outro tanto dos impostos cobrados a empresas, pelo fisco finlandês. Os números mais recentes são de 2009 e indicam que o contributo da empresa para o PIB desceu para 1,6%.

O negócio agora anunciado deverá ter implicações também no emprego. “Infelizmente para a Finlândia será uma questão de tempo até a Nokia estar cada vez mais centrada nos Estados Unidos”. Com a concretização do negócio, Stephen Elop salta da Nokia para a Microsoft, levando consigo 32 mil trabalhadores.


José Carlos
Equipe Blog do Zipi

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como cancelar caixa postal da Claro, Oi, TIM e Vivo | Blog do Zipi