Ex-empregados da Nokia lançam primeiro smartphone a 27 de novembro | Blog do Zipi



A start-up finlandesa Jolla vai lançar o seu primeiro smartphone a 27 de novembro, em parceria com a operadora DNA. A Jolla foi criada há dois anos por um grupo de ex-trabalhadores da Nokia, que continuaram a desenvolver o sistema operativo MeeGo entretanto descontinuado pela marca.
A operadora DNA vai organizar um grande evento de lançamento, onde os primeiros 450 consumidores que pré-reservaram o aparelho irão recebê-lo.



O preço do smartphone é de 399 euros sem contrato.
O smartphone não tem realmente um nome - é o Jolla phone – e apresenta uma tela tátil de 4,5 polegadas, uma câmera traseira de 8 megapixeis e 4G. O armazenamento original é de 16 gigas, mas o usuário pode expandi-lo através de cartão microSD.

A surpresa é não ser um smartphone Android. O sistema operativo do Jolla chama-se Sailfish e é uma versão do MeeGo, embora seja compatível com as aplicações Android – porque uma start-up a entrar no mercado não tem força para criar um ecossistema com milhares de aplicações de um momento para o outro.

Os utilizadores poderão fazer o download das aplicações Android a partir da Yandex Store, que tem 85 mil aplicações para começar. A Jolla informou também que os smartphones irão utilizar a tecnologia de mapas da divisão Nokia Here.

Um detalhe do sistema operativo é que consegue detetar e interagir com componentes eletrónicos na capa traseira do telefone, o que pode ser usado para adicionar funcionalidades e modificar o aspeto.

Mas afinal quais são as caracteristicas deste Jolla?

Num mercado polarizado entre Samsung e Apple, há sempre espaço para mais concorrência. É o que pensam os criadores da Jolla, uma start-up que está prestes a juntar-se à indústria com o seu primeiro modelo.


Com preço de 399 euros e data de lançamento para o dia 27 e Novembro  na Europa, o Jolla tem uma tela tátil de 4,5 polegadas (maior que o iPhone 5), processador de dois núcleos, 4 G e câmera de 8 megapixeis. Corre o sistema operativo Sailfish, uma novidade que introduz controlo por gestos, e suporta aplicações Android.
Mas uma das funções mais interessantes do novo smartphone é poder trocar a parte traseira do modelo. Quando o utilizador troca esta parte, o software muda para se adaptar à nova cor e design.
Ou seja, "as cores, fontes, sons, perfis e funcionalidades – todas se ajustarão ao gosto do utilizador bastando apenas unir as duas metades", diz a empresa no seu site.
A campanha de pré-reserva já arrancou e oferece uma "edição limitada" para os primeiros clientes. "Mostre que existe mercado para a Jolla ao participar nesta campanha de pré-reserva", disse o vice-presidente de investigação e desenvolvimento, Marc Dillion.

No início de maio, a Jolla nomeou Tomi Pienimaki para CEO, com o propósito de preparar a marca para a fase de entrada num mercado competitivo e superpovoado.
Uma curiosidade da equipa que fundou a Jolla é que a maioria trabalhou na Nokia. O sistema operativo Sailfish baseia-se no MeeGo, que a Nokia abandonou quando decidiu usar o Windows Phone há três anos.

O Jolla terá um sistema operativo novo no mercado, Sailfish, mas suportará aplicações Android

Fonte: Jolla

José Carlos
Equipe Blog do Zipi

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como cancelar caixa postal da Claro, Oi, TIM e Vivo | Blog do Zipi